O programa tem como objetivo verificar a presença de espécies endêmicas e ameaçadas de extinção na região, uma vez que nos estudos do EIA foram encontradas espécies endêmicas na bacia do rio Doce, como o surubim-do-doce (Steindachneridion doceana) e o andirá (Henochilus wheatlandii).

É importante frisar que essas espécies não foram encontradas no Rio Guanhães.

As campanhas de monitoramento de espécies endêmicas estão sendo realizadas concomitantes com as campanhas do Programa de Monitoramento da Ictiofauna Anterior ao Barramento.

Durante o monitoramento não foram capturados espécies endêmicas e/ou ameaçadas de extinção nos pontos monitorados na área de influência dos quatro empreendimentos.